29 de setembro de 2012

Errar é Humano


ERRAR É HUMANO
(crônica escrita para um curso de aprofundação
de produção de texto).

A 2ª etapa terminou e logo veio uma bomba: recuperação em matemática.
Tenho um sério pesadelo com esta matéria, onde várias pessoas consideram como fácil, mas, para mim, parece um monstro de sete cabeças.
Quando pego os exercícios, o problema aumenta, pois sinto que não irei conseguir relembrar várias matérias de cinco meses em três semanas.

Os plantões ajudam a tirar dúvidas em questões difíceis, porém, tenho mais dúvidas desde as mais simples até as medianas. Imagine só se eu receber a prova neste momento valendo sessenta pontos com as questões mais difíceis?! Iriam me dar alguns décimos, pois iria errar todas!

Os dias se passam e com ajudas e suportes confiáveis de pais e professores, minhas dúvidas tornam-se tolas. Os exercícios parecem mais fáceis e o X,Y,Z que antes pareciam uma monstruosidade, tornaram-se amigáveis.
Os esquemas ficam certos, mas de vez em quando escorrego em alguns sinais que deveriam ser mudados e, com a pressa, erro até contas bobas!

Outro dia entrei na sala do último plantão e meus colegas mais próximos que me acham um “nerd”, como chamam os inteligentes hoje em dia, ficaram surpresos com minha presença.
Eles disseram: “VOCÊ aqui?!” e simplesmente sorri e disse: “Errar é humano, não sou uma máquina!”.

Eu estudava em um outro colégio há muitos anos, cujo o lema era: “gente que forma gente”, mas estava mais para: “gente que forma máquina”. Acho um absurdo você ter que estudar horas e horas sem descanso, para provas surpresas de qualquer matéria, valendo mais do que dez pontos.

Enfim, ainda irei fazer a prova de recuperação, mas mesmo assim, tenho fé que passarei nessa avaliação, para mudar minha frase que antes tinha uma posição negativa, para outra muito melhor:

“Não erre apenas, acertar, também é humano!”

Fim

Um comentário:

  1. Muito boa tua crônica. Narrativa que soube me conduzir até o final. Fluiu bem. Somos assim mesmo, feitos de erros e acertos.

    Suzana - Lily

    ResponderExcluir

Comente o quanto quiser. Só não comente como anônimo